Problemas de pele causados pelo estresse

Não obstante os danos provocados por raios UV, vento e poluição, a pele ainda enfrenta problemas relacionados às emoções, principalmente o estresse, que interferem no bom funcionamento do organismo e deixam a pele muito mais susceptível a ataques externos.

O estresse aumenta a produção natural dos corticoides, facilitando a atrofia da pele e a perda de colágeno, o que causa também um déficit na circulação, acelerando o envelhecimento. Com isso, há uma queda na imunidade e o corpo fica mais vulnerável a infecções e outros problemas.

Quando o estresse faz parte da rotina, a pele é uma das mais afetadas. A tensão provoca alterações hormonais diversas no corpo e libera algumas substâncias na corrente sanguínea, podendo surgir descamações, áreas avermelhadas e ressecadas, olheiras e pele sem brilho. Peles oleosas também ficam com os poros mais dilatados e a derme mais grossa.

Conheça outros problemas da pele estressada e veja dicas para amenizá-los, além – é claro – de combater o estresse.

Cravos e espinhas: São muito mais comuns na adolescência, mas podem surgir na fase adulta por alguns fatores, incluindo o excesso de tensão. Pois o estresse aumenta a produção das glândulas sebáceas e deixa a pele mais oleosa, favorecendo o surgimento da acne

A primeira recomendação dos dermatologistas é não cutucar esses cravinhos,  pois os micro-organismos presentes nas unhas podem causar um processo inflamatório na acne, piorando o estado da pele e aumentando as chances de virar uma cicatriz. Em vez disso, lave o rosto duas vezes por dia com sabonete neutro, use apenas produtos indicados por seu médico para a sua pele e evite abusar de doces, frituras e gorduras, que aumentam a oleosidade da pele.

Alergias: O estresse age nas células do tecido conjuntivo associadas às reações alérgicas, chamadas mastócitos, isso, aumenta a coceira.

Para evitar que a alergia de pele piore: Aplique uma camada espessa de hidratante com filtro solar na área afetada para evitar manchas; Lave a pele apenas com água fria enquanto houver alergia; e evite coçar, para não aumentar a lesão;

Dermatite Seborreica: Essa doença provoca lesões avermelhadas e que descamam a pele – sobretudo o couro cabeludo – e é causada por um fundo chamado pityrosporum ovale, que se alimenta do sebo produzido pelas glândulas da pele. Os tratamentos costumam envolver o uso de xampus que combatem oleosidade, caspa ou fungos; loções para o controle da inflamação e das caspas e até mesmo medicações de uso oral que venham a controlar a oleosidade. Além disso, é bom expor a pele ao sol (com filtro solar e fora do período entre as 10h e 16h), pois os raios solares ajudam a amenizar o problema.

Furúnculo: Essa infecção é muito comum em regiões com dobras ou pelos, como virilha e bumbum. O furúnculo se transforma em um nódulo endurecido, vermelho e bem dolorido e, se não for tratado, pode virar uma ferida com pus.  Além do tratamento antibiótico, o furúnculo precisa ser drenado por um especialista.

Herpes Esse problema é causado por um vírus do próprio organismo e desencadeado por fatores como estresse, sol e baixa imunidade. Feridas em formato de bolhas aparecem no corpo – principalmente nos lábios e nos genitais. É preciso iniciar uma medicação oral para evitar o aumento de herpes, além de aplicar creme tópico para diminuir a transmissão.

Micose: É uma infecção é causada por fungos que se proliferam em ambientes úmidos, fechados e quentes. Ela é um dos sinais de que o sistema imunológico está deficiente

Para conter esse problema, seque o local após o banho todos os dias e use antifúngicos orais e tópicos (pomadas) indicados por um dermatologista.

Rosácea: Caracterizada por uma vermelhidão no rosto, a rosácea também pode apresentar nódulos, pus, inchaços e vasinhos. Tensão, ansiedade, estresse são fatores desencadeantes e o quadro pode piorar com o consumo excessivo de álcool e exposição solar. Dependendo do grau de rosácea, é necessário realizar tratamento medicamentoso.

Psoríase: Ela é uma doença inflamatória crônica, não contagiosa e caracterizada por lesões avermelhadas e que descamam. A psoríase costuma aparecer no couro cabeludo, nos cotovelos e nos joelhos. Além de controlar o estresse – que é um agravante do quadro -, é importante tomar sol e hidratar a pele de preferência com hidratantes sem ureia na formulação e sem perfume

Olheiras: As bolsas e manchas escuras embaixo dos olhos são decorrentes, principalmente, de noites mal dormidas. Um bom corretivo ajuda a disfarçar, mas, se as olheiras forem permanentes, a solução é procurar um dermatologista para tratar da forma correta.  Os cremes mais indicados para amenizar as olheiras são à base de ácido tioglicólico ou vitamina K. A vitamina C também ajuda, tanto como antioxidante, quanto como clareador. “É importante também usar filtro solar, pois o acúmulo de melanina pode piorar a aparência da olheira.

Deixe uma resposta